Movimento Inteligente - Kelly Lemos

“Não quero corpos flexíveis e sim mentes flexíveis” Moshe Feldenkrais Essa foi uma das afirmações usadas por Feldenkrais para ilustrar seu método, aparentemente corporal, já que utiliza o corpo como veículo, porém amplia a percepção e o uso consciente de si mesmo na vida. O Método Feldenkrais hoje possui todo um embasamento científico após tantas descobertas sobre a neuroplasticidade, ou seja, capacidade adaptativa do nosso sistema nervoso de acordo com nossas experiências. Nosso cérebro possui aproximadamente cem bilhões de neurônios que se interconectam, formando circuitos no nosso cérebro. O que os neurocientistas conseguem comprovar hoje é que estes circuitos podem se modificar de acordo com os estímulos recebidos. Durante muito tempo acreditou-se que o cérebro era algo rígido, com suas conexões e padrões fixos. O avanço das neurociências comprovou quão grande é a capacidade plástica do cérebro, e esta plasticidade se dá pela experiência. Se você tem uma memória corporal muito forte de dor, há uma tendência em transformar todos os estímulos que chegam ao seu corpo em dor; a partir de uma experiência ainda não codificada pelo seu cérebro, ou reconhecida como algo novo, esses circuitos se modificam e você pode criar um novo circuito, neste caso vinculado ao prazer, e isso ocorre a nível químico e tecidual do seu cérebro!! Essas nuances cerebrais são apenas uma parte do Feldenkrais. Então o que é FELDENKRAIS??? Talvez uma das tarefas mais difíceis para um professor seja defini-lo...estou tentando encontrar uma definição na qual ele caiba....mas não encontro. É físico? É mental? É meditativo? Psíquico? Talvez tudo isso...talvez nada disso.... Gosto muito da afirmação dele: “Tornar o impossível possível, o possível fácil e o fácil prazeroso e estético”. Nas lições de Consciência pelo Movimento, os movimentos são realizados sem esforço, de acordo com o ritmo de cada aluno. O que se considerava certo ou errado, passa a ser possibilidades de realizar algo de formas diversas.